Blaise Pascal foi um cientista, matemático e filósofo francês. Suas contribuições para a ciência e a matemática foram tão importantes que muitas coisas relacionadas a esses campos levam o nome dele. Além dessas realizações, Pascal também escreveu dois trabalhos que são considerados obras-primas da literatura francesa.

Infância e juventude

Blaise Pascal nasceu em 19 de junho 1623, em Clermont-Ferrand, na França. Seu pai, Étienne, era juiz do tribunal que julgava casos relacionados a tributos. Sua mãe morreu em 1626. Em 1631, a família mudou-se para Paris. Ainda na infância, Pascal demonstrou ter um talento extraordinário para matemática. Em 1640, ele escreveu um ensaio sobre geometria que continha uma ideia importante. Essa ideia mais tarde ficou conhecida como teorema de Pascal.

Ciência e matemática

Entre 1642 e 1644, Pascal construiu uma máquina para ajudar o pai a calcular tributos. Essa máquina, chamada pascalina, foi a primeira calculadora mecânica da história.

Pascal realizou diversos experimentos sobre pressão atmosférica. Ele trouxe tantas contribuições para esse campo que a unidade de medida de pressão chama-se pascal, em sua homenagem. Também fez experimentos relacionados à mecânica dos fluidos (uma área que estuda a reação dos fluidos quando forças são aplicadas sobre eles). Esses experimentos levaram ao estabelecimento do princípio atualmente conhecido como lei de Pascal.

Pascal tinha amigos que participavam de jogos de azar (isto é, jogos em que normalmente se aposta dinheiro). Ele gostava de calcular as chances que esses amigos tinham de ganhar ou perder suas apostas. Isso o levou a descobrir a teoria das probabilidades, uma teoria matemática que é usada para medir resultados incertos.

Literatura

Entre janeiro de 1656 e março de 1657, Pascal escreveu 18 cartas em defesa de um homem que estava sendo julgado por ter escrito algo polêmico. Essas cartas, conhecidas como Les Provinciales (“As provinciais”), fizeram sucesso imediatamente. Elas são consideradas o início da prosa moderna na França.

Em 1657–58, Pascal começou a fazer anotações para seu próximo livro. Nessas anotações, ele defendia o cristianismo e apresentava razões pelas quais as pessoas deveriam ser cristãs. Os argumentos que ele usou para explicar por que as pessoas deveriam acreditar em Deus ficaram conhecidos como aposta de Pascal. Ele morreu antes de conseguir terminar o livro. Depois de sua morte, as anotações foram reunidas e publicadas na obra Pensées (“Pensamentos”). Pascal faleceu em Paris, em 19 de agosto de 1662.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.