Paulo Coelho é um escritor brasileiro conhecido por usar muito simbolismo em suas histórias, que costumam retratar jornadas espirituais vividas por seus personagens. É um dos autores com mais livros vendidos no mundo: cerca de 150 milhões de exemplares, em mais de 150 países. É também o autor com a maior quantidade de livros vendidos em língua portuguesa de todos os tempos.

Vida

O escritor nasceu em 24 de agosto de 1947, no Rio de Janeiro. Na juventude, ao se rebelar contra as convenções católicas nas quais tinha sido criado, foi internado em um hospital psiquiátrico por seus pais, o que foi uma experiência dolorosa e traumática.

Em 1970, com 23 anos, abandonou o curso de direito e viajou pela América do Sul, pelo México, pelo norte da África e pela Europa. Voltou para casa em 1972 e foi escrever letras de músicas para o cantor e compositor de rock brasileiro Raul Seixas. Em 1974, ficou preso por um breve período, acusado de atividades subversivas contra o governo ditatorial brasileiro.

Trabalhou para algumas gravadoras até 1980, quando embarcou novamente para viagens à Europa e à África. Foi durante uma dessas viagens que percorreu o Caminho de Santiago de Compostela, cerca de 800 quilômetros de estradas usadas desde a Idade Média por peregrinos que viajam da França à Espanha. Essa jornada o reaproximou do catolicismo e serviu de base para seu primeiro livro, O diário de um mago (1987).

Obra

Na sequência de O diário de um mago, publicou O alquimista (1988), que conta a jornada mística de um jovem pastor da Andaluzia (sul da Espanha) pelo norte da África à procura de um tesouro. O livro obteve grande sucesso e foi traduzido para 67 idiomas. Em 1992, publicou As Valkírias; essa obra relata o período em que, com sua primeira mulher, Coelho participou dos movimentos de contracultura, nos anos 1970. No livro Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei, de 1994, ele volta à ficção, contando o despertar espiritual de uma jovem mulher espanhola.

Em O monte Cinco (1996), retoma o universo do catolicismo e reconta a história do profeta bíblico Elias, enquanto no Manual do guerreiro da luz (1997) reúne, no universo da ficção, histórias de figuras religiosas conhecidas. Em Veronika decide morrer (1998), ele relembra sua experiência com a loucura na juventude. Em A bruxa de Portobelo (2006), conta a história de uma líder religiosa na forma de depoimentos de personagens fictícios que a conheciam. Seu livro O vencedor está só (2008) é um suspense que se passa no Festival de Cinema de Cannes. Além desses livros, Coelho escreveu muitos outros, dentre eles Brida (1990), O demônio e a senhorita Prym (2000), Onze minutos (2003), Ser como um rio que flui (2006), Aleph (2010), O manuscrito encontrado em Accra (2012), A espiã (2016) e a autobiografia Hippie (2018).

Entusiasta da internet, Paulo Coelho mantém um blog oficial. Em 2008, desenvolveu o projeto “A bruxa experimental”, em que convidou os leitores a adaptar para as telas de cinema seu livro A bruxa de Portobello. Seis mil pessoas participaram do desafio, que gerou o filme The Experimental Witch, lançado no Festival de Cinema de Roma de 2009.

Prêmios conquistados

Paulo Coelho recebeu muitos prêmios internacionais, entre os quais o título de Cavaleiro da Legião de Honra, da França, em 2000. Em 2002, foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras. Seu livro O alquimista lhe rendeu a referência no guia Guinness World Records de 2008 como livro mais traduzido no mundo.

Desde 1996, mantém o Instituto Paulo Coelho para ajudar crianças e idosos.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.