O Território Britânico do Oceano Índico (TBOI) é formado por 58 ilhas tropicais situadas no centro do oceano Índico, na Ásia, a meia distância entre o leste da África e a Indonésia. O TBOI pertence ao Reino Unido e é administrado por um comissário britânico em Londres.

Geografia

O Território Britânico do Oceano Índico é formado pelo arquipélago de Chagos, que tem formato semicircular e é aberto no lado leste. Fazem parte dele as ilhas Salomon, Nelson, Three Brothers, Eagle, Egmont e Danger, além dos atóis Peros Banhos e Diego Garcia — sendo este o maior componente do território, com área de 44 km2. Situadas no centro do oceano Índico, as ilhas ficam fora da rota dos ciclones.

A área total das ilhas é de 60 km2 e a área total de oceano coberta pelo arquipélago é de aproximadamente 640.000 km2. Embora atualmente as ilhas não tenham população permanente, cerca de 4.000 pessoas, entre funcionários civis e militares ingleses e americanos, geralmente ficam ali alojadas.

História

O Território Britânico do Oceano Índico foi criado em 1965, pela reunião das ilhas Aldabra, Farquhar e Desroches (pertencentes a Seychelles) com o arquipélago de Chagos (dependente da Ilha Maurício). Em 1976, as ilhas que eram de Seychelles foram devolvidas a esse país, e o TBOI ficou restrito apenas ao arquipélago de Chagos.

As ilhas foram descobertas por exploradores portugueses no século XVI e eram então desabitadas. Porém, por ficarem em uma importante rota marítima de comércio internacional, as potências europeias passaram a competir por sua posse. Os franceses dominaram os arquipélagos de Chagos e de Seychelles no final do século XVIII e começaram a cultivar coqueiros. Escravos foram levados da África até lá para trabalhar nessas plantações. O controle das ilhas passou para os britânicos em 1814.

O TBOI foi estabelecido durante a Guerra Fria através de um acordo entre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos. Os Estados Unidos tinham como objetivo fazer oposição à presença dos soviéticos na região. Em 1971, uma grande base militar foi construída no atol Diego Garcia, e as plantações de coqueiros foram extintas. Entre 1967 e 1973, os britânicos removeram do arquipélago de Chagos todos os seus habitantes. Esses habitantes eram descendentes dos escravos africanos e de trabalhadores indianos que também se dedicavam às plantações de coqueiros. A maioria dessas pessoas se estabeleceu na Ilha Maurício.

A ampliação da base militar nos anos 1980 foi criticada pelos países vizinhos. Apesar disso, vários ataques aéreos partiram de lá para o Iraque, na Guerra do Golfo (1990–91), para o Afeganistão, em 2001, e novamente para o Iraque, no início da Guerra do Iraque (2003).

Em 2000, a Suprema Corte do Reino Unido decidiu que a remoção dos habitantes do arquipélago de Chagos era ilegal e lhes concedeu o direito de regresso. Essa decisão, porém, foi contestada. Os ilhéus continuam lutando para conseguir retornar a seu lugar de origem.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.