Thomas Jefferson foi o terceiro presidente dos Estados Unidos e o principal autor da Declaração de Independência do país. Muitas pessoas o admiram por ser uma pessoa que acreditava firmemente nos ideais de democracia, igualdade e liberdade. Por outro lado, ele foi proprietário de escravos, por isso algumas pessoas questionam a crença dele nesses ideais.

Juventude

Thomas Jefferson nasceu em 13 de abril de 1743, em Shadwell, no atual estado americano da Virgínia. Seus pais eram Peter Jefferson, que era agrimensor (uma pessoa que trabalha medindo terrenos), e Jane Randolph, que vinha de uma família rica. Os Jeffersons moravam em uma fazenda que tinha escravos. Thomas Jefferson estudou em um internato e na faculdade William and Mary College, na Virgínia. Em 1767, ele se tornou advogado. No ano seguinte, projetou a própria casa em uma montanha perto de Shadwell. Ele deu à propriedade o nome de Monticello.

Thomas Jefferson se casou com Martha Wayles Skelton no primeiro dia de 1772. Eles tiveram seis filhos. Martha morreu após dez anos de casamento e Thomas nunca mais se casou.

Carreira política

Thomas Jefferson foi eleito deputado da Virgínia em 1769 e passou a apoiar a independência americana em relação à Grã-Bretanha. Em 1775 e 1776, ele foi enviado como representante da Virgínia ao Congresso Continental (uma assembleia formada pelas treze colônias da América do Norte para opor-se ao domínio britânico). Em 1776, Jefferson tornou-se o principal autor da Declaração de Independência dos Estados Unidos. Foi ele quem escreveu algumas das frases mais conhecidas da Declaração, como as que dizem que “todos os homens são criados iguais” e têm o direito à “vida, à liberdade e à busca da felicidade”.

Ao reassumir sua função de deputado, Jefferson propôs o fim dos privilégios dos ricos, o acesso à educação para todos os cidadãos e a separação entre Igreja e Estado. Em 1779, ele foi eleito governador da Virgínia. Muitos o criticaram por não ter defendido o estado de um ataque britânico que ocorreu em 1780. Em 1782, voltou a participar do Congresso Continental. Depois que a Guerra de Independência dos Estados Unidos acabou, Jefferson substituiu Benjamin Franklin como embaixador americano na França.

Entre 1790 e 1793, durante o governo de George Washington, Thomas Jefferson foi o secretário de Estado dos Estados Unidos. Ele foi a primeira pessoa a ocupar esse cargo. Jefferson discordava de Alexander Hamilton, o secretário da Fazenda. Jefferson e seus apoiadores eram chamados de Republicanos (ou Democrata-Republicanos); eles acreditavam que os estados deviam ter poder para tomar suas próprias decisões sobre a maioria dos assuntos. Já Hamilton liderava os federalistas, que acreditavam em um governo com poder centralizado. Em 1796, com a eleição de John Adams para a presidência, Jefferson tornou-se vice-presidente.

Presidência

Em 1800, Thomas Jefferson (tendo como vice Aaron Burr) concorreu à presidência contra Adams, que pretendia se reeleger. A eleição terminou empatada. A Câmara dos Representantes acabou decidindo que Thomas Jefferson era o vencedor.

O acontecimento mais importante do primeiro mandato de Jefferson foi a compra do Território da Louisiana, em 1803. A compra dessa área, que até então pertencia à França, tornou os Estados Unidos duas vezes maior. O presidente lançou a Expedição Lewis e Clark para explorar as novas terras.

Jefferson foi reeleito com facilidade em 1804, mas o segundo mandato não foi tão bem-sucedido quanto o primeiro. Uma guerra entre a Grã-Bretanha e a França prejudicou o comércio dos Estados Unidos com a Europa.

Aposentadoria

Em 1809, Thomas Jefferson se aposentou e voltou para Monticello, onde se dedicou a escrever, a administrar seus bens e a receber os amigos. Seu último grande projeto foi a fundação da Universidade da Virgínia, em Charlottesville. Thomas Jefferson morreu em 4 de julho de 1826.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.