A aids (abreviatura do nome da síndrome em inglês, Acquired Immunodeficiency Syndrome) é uma doença séria. Ela também pode ser chamada pela abreviatura do nome em português, sida. Milhões de pessoas morreram de aids desde os anos 1980, e sua cura ainda não foi descoberta. Porém hoje ela é tratada com eficácia.

Causas

Pequenas partículas chamadas vírus provocam muitas doenças, inclusive a aids. O causador da aids é o vírus da imunodeficiência humana (HIV, sigla da expressão em inglês, human immunodeficiency virus). O HIV entra no corpo de várias maneiras: pelo contato sexual com pessoas infectadas; por transfusão de sangue contaminado; da mãe infectada para o bebê, tanto na gestação quanto na amamentação; ou através de agulhas contaminadas. Tosse, espirros ou apertos de mão não transmitem o vírus HIV.

O corpo humano tem defesas naturais chamadas glóbulos brancos, que protegem o organismo de doenças. Uma dessas defesas é o linfócito T auxiliar, que estimula outro tipo de célula branca, o linfócito B, a produzir anticorpos específicos para combater cada tipo de vírus. Todas essas células fazem parte do sistema imunológico. O HIV mata os linfócitos T auxiliares, impedindo o organismo de produzir anticorpos. O corpo então perde a capacidade de se proteger e fica suscetível a qualquer doença.

Sintomas

Ao ser infectada pelo HIV, a pessoa pode apresentar sintomas parecidos com os da gripe. Eles costumam durar uma ou duas semanas. Passados esses sintomas, a pessoa pode ficar anos sem mostrar sinais da doença, muitas vezes nem sabendo que está infectada. Porém, mesmo sem saber que tem o vírus, ela pode transmiti-lo a outras pessoas.

Como o sistema imunológico fica enfraquecido, a maioria das pessoas infectadas acaba desenvolvendo outras infecções. A partir do momento em que o paciente desenvolve uma infecção em consequência do HIV, diz-se que ele tem aids.

As infecções mais comuns são a tuberculose e um certo tipo de pneumonia. Além disso, pessoas com aids costumam desenvolver um câncer chamado sarcoma de Kaposi, que se apresenta na forma de manchas avermelhadas pelo corpo. O HIV pode ainda atacar o sistema nervoso e causar danos na visão ou no cérebro. Antes de se descobrirem formas de tratamento, a taxa de mortalidade era muito alta, mas nos últimos anos as pessoas com aids têm conseguido levar uma vida normal quando mantêm uma medicação constante.

Prevenção e tratamento

Existem formas de prevenção contra o HIV. A medida mais importante é evitar o contato com sangue e outros fluidos corporais que possam estar contaminados com esse vírus.

Se uma pessoa for infectada, alguns medicamentos podem impedir que o vírus se propague. O tratamento aumenta o tempo de vida das pessoas que têm o HIV.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.