O elemento químico alumínio é o metal mais comum na crosta da Terra. Depois do ferro, o alumínio é também o metal mais usado. Os cientistas usam símbolos para representar os elementos químicos. O símbolo do alumínio é Al.

Onde o alumínio é encontrado

O alumínio não ocorre puro na natureza. Ele geralmente se combina com outros elementos, como o silício, o oxigênio e o hidrogênio, formando compostos. Esses compostos estão presentes, em maior ou menor grau, em quase todas as rochas, plantas e animais. As rochas que contêm os compostos são chamadas de minérios de alumínio. A bauxita é o minério de alumínio mais comum. No século XIX, os cientistas aprenderam a separar o alumínio dos outros elementos para obtê-lo puro.

Os maiores produtores de alumínio são os Estados Unidos e o Canadá. A bauxita é encontrada em todo o mundo. A Austrália e a Guiné (um país da África) têm as maiores reservas desse minério. O Brasil tem a terceira maior jazida de bauxita do planeta, com importantes reservas na região Norte, no estado do Pará, e na região Sudeste, em Minas Gerais.

Propriedades

O metal de alumínio é maleável e de cor prateada. O alumínio puro é bastante fraco, mas, quando combinado com pequenas quantidades de silício e ferro, torna-se duro e forte. O produto dessa mistura é chamado de liga. O alumínio é muito útil porque é leve e pode ser moldado facilmente, dando origem a fios ou a folhas finas. Ele é um metal que resiste muito bem à corrosão, pois, quando fica exposto ao ar, uma película dura e resistente se forma em sua superfície.

Usos

Devido a suas propriedades, as ligas de alumínio são ideais para a fabricação de peças para aviões e outros veículos. O alumínio também é utilizado para fazer certos materiais de construção, geladeiras, condicionadores de ar e latas de refrigerante. Por ser um bom condutor de calor, o alumínio é usado na fabricação de panelas e frigideiras. Ele também é usado para fazer fios elétricos, pois é um bom condutor de eletricidade.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.