A irrigação é uma técnica utilizada pelos agricultores para levar água às suas plantações. A água ajuda as plantas a crescer. Em regiões muito secas, a irrigação substitui a chuva. Ela pode aumentar bastante a produção agrícola, mas também é capaz de causar problemas ao meio ambiente.

Obtenção de água

A maior parte da água utilizada na irrigação vem do subsolo ou de um rio. Os agricultores conseguem extrair água do subsolo cavando poços. Eles bombeiam a água para fora desses poços.

Os agricultores também podem conseguir água de um rio cavando canais a partir do leito dele. Eles podem ainda coletar água construindo diques ao longo do rio. A água fica acumulada em um lago artificial chamado reservatório ou represa.

Depois de conseguir a água, os agricultores a levam para as lavouras. Isso pode ser feito por meio de canais ou de tubulações. Quando as lavouras ficam abaixo do nível da fonte, a gravidade pode ajudar a transportar a água. Quando ficam acima, os agricultores usam bombas para elevar a água.

Uso da água

O passo seguinte é fazer a água chegar às plantas. Há várias maneiras de fazer isso. A irrigação de superfície, a subterrânea e a aérea estão entre as técnicas utilizadas.

Os sistemas de irrigação de superfície levam a água diretamente à superfície da terra. Uma das técnicas de irrigação de superfície é chamada de alagamento. Esse método alaga as plantas em crescimento. O arroz é a cultura mais comumente irrigada por alagamento.

O segundo tipo de irrigação de superfície é a infiltração. Nesse método, a água desliza por canais cavados entre as fileiras de plantas, molhando a terra. Batata, beterraba, algodão e milho muitas vezes são irrigados por infiltração.

Um terceiro tipo de irrigação de superfície é chamado de gotejamento. Canos com buracos distribuem a água para as plantas. Esse método é ideal para regiões secas. Como recebem um pouco de água por vez, as plantas podem usá-la imediatamente. Desse modo, evita-se o desperdício de água.

Os sistemas de irrigação subterrânea fornecem água por baixo da terra. Canos enterrados a levam até as plantas. Esse é um bom método para irrigar plantas frutíferas e hortaliças.

Os sistemas de irrigação aérea borrifam água sobre as plantas. Borrifadores, ou pivôs, giratórios são uma forma comum de irrigação aérea. Eles espalham a água em grandes círculos, girando lentamente pela plantação.

Nem toda a água da irrigação chega às plantas. Parte dela evapora, ou então escorre e é absorvida pela terra. Normalmente, um sistema de irrigação também conta com um sistema de drenagem — com valetas ou canos subterrâneos — para remover o excesso de água do solo.

Questões ambientais

A irrigação pode causar problemas para o meio ambiente. A água da irrigação contém mais sal do que a água da chuva. O sal pode acumular-se no solo e fazer mal às plantas. O acúmulo de sal destruiu terras cultiváveis na Índia, no Paquistão e em outros países.

Coletar água demais para a irrigação pode causar falta de água em outros lugares. Hoje, a irrigação em algumas áreas usa mais água do que a natureza pode oferecer. Na região central da Ásia, os rios que correm para o mar de Aral são muito utilizados para irrigação. Como resultado, esse mar (que na verdade é um lago salgado) está ficando cada vez menor.

História

Os agricultores da Antiguidade canalizavam os rios para irrigar suas plantações. Os egípcios usaram a água do rio Nilo pela primeira vez há cerca de 7 mil anos. Os povos da Mesopotâmia (onde hoje é o Iraque) aproveitavam as águas dos rios Tigre e Eufrates. Os antigos chineses usavam o Huang Ho, ou rio Amarelo.

Na América, os índios já empregavam a irrigação mais de 2 mil anos atrás. Os incas, do Peru, criaram uma civilização agrícola muito desenvolvida, baseada na irrigação. Por volta de 1200 a.C., os índios hohokams construíram sistemas de irrigação onde agora fica o estado do Arizona, nos Estados Unidos.

Desde então, mais e mais terras passaram a ser irrigadas pelo ser humano. No século XX, o governo americano construiu grandes represas para ajudar na irrigação. No começo do século XXI, Índia, China, Estados Unidos e Paquistão estão entre os países com a maior extensão de terras irrigadas no mundo.

A irrigação no Brasil

O Brasil é considerado um país rico em recursos hídricos — ou seja, tem muita água à disposição. Mas esses recursos não são distribuídos igualmente por todo o território. Algumas regiões, principalmente o Nordeste, precisam de mais projetos de irrigação do que outras.

No final do século XX e início do XXI, projetos de irrigação no vale do rio São Francisco transformaram a região em um grande produtor de frutas, com destaque para a manga e a uva. Outro projeto relacionado a esse rio, conhecido como transposição do São Francisco, está em andamento desde 2007. A obra envolve a construção de mais de 700 quilômetros de canais, divididos em dois grandes eixos. A finalidade é levar parte da água do São Francisco ao semiárido nordestino, para ser usada em diversas finalidades, dentre elas a irrigação. Esse é um projeto polêmico, pois muitas pessoas dizem que afetará bastante o meio ambiente da região, enquanto outras acreditam que ele resolverá o problema da seca que afeta a área.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.