A luta é um esporte em que dois atletas tentam derrubar um ao outro no chão. Os lutadores precisam ter habilidade, força, rapidez e bom condicionamento físico. A luta é um dos esportes mais antigos do mundo e já era praticada pelos antigos egípcios. Na Grécia antiga, a luta era parte importante dos Jogos Olímpicos. Provavelmente ela se desenvolveu como esporte a partir de combates corpo a corpo que aconteciam nas guerras.

Estilos de luta

Alguns países têm seus próprios estilos de luta. No Japão, por exemplo, o sumô é muito popular. Os lutadores de sumô vestem tangas e seguram um ao outro pelo cinto. O sambô é um tipo de luta que começou na União Soviética na década de 1930. Ele inclui movimentos de uma arte marcial japonesa chamada judô.

Dois estilos de luta fazem parte dos Jogos Olímpicos modernos: a luta greco-romana e a luta livre. A luta livre é praticada em escolas e universidades nos Estados Unidos. A luta greco-romana é mais popular na Europa.

Arena e equipamentos

Nas Olimpíadas, assim como em outras competições oficiais de luta greco-romana e de luta livre, as disputas ocorrem em uma grande esteira conhecida como tapete. Os tapetes variam de tamanho e de formato, dependendo do nível da competição.

Os lutadores usam roupas elásticas que cobrem as coxas, a cintura e o tronco. Calçados especiais os ajudam a manter-se de pé. Às vezes, os lutadores usam joelheiras e protetores de orelha.

Combates

As disputas de luta livre e de luta greco-romana são parecidas. Em ambos os estilos, os lutadores tentam dominar o adversário, prendendo-o de costas no chão. O objetivo é fazer que os dois ombros do oponente toquem o chão ao mesmo tempo. Esse golpe é chamado de encostamento.

O combate começa com os dois lutadores de pé, no centro do tapete. Eles então tentam agarrar e controlar um ao outro, usando vários golpes. No estilo greco-romano, os lutadores só podem dar golpes acima da cintura. Eles não podem dar rasteiras nem enroscar suas pernas ao redor do adversário. Na luta livre, quase todos os golpes de pernas e braços são permitidos. Os lutadores podem usar as pernas para dar rasteiras, envolver ou prender o adversário. Normalmente as regras proíbem ações que possam machucar o oponente, como estrangulamento, chutes e socos.

Um juiz fica na arena com os lutadores. Ele dá pontos para cada golpe bem-sucedido. O juiz também anuncia quando acontece um encostamento. Esse golpe resulta em vitória imediata. Quando não há encostamento, ganha o lutador com mais pontos.

História

Por volta de 3000 a.C., a luta já existia na Babilônia, um reino da Mesopotâmia, e no Egito. Povos da Índia e da China antigas também praticavam lutas. A luta foi um esporte importante na Grécia antiga. Mílon de Crotona foi um famoso lutador grego que viveu por volta de 500 a.C. Nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, ele foi seis vezes vencedor.

Por volta do século XVIII, os combates de luta aconteciam em feiras e nos circos. Os melhores lutadores competiam contra qualquer um que os desafiasse. A luta também foi popular durante a expansão dos Estados Unidos para o oeste. Nessa época, era um esporte bastante bruto. Qualquer golpe era permitido, com exceção do estrangulamento.

O estilo greco-romano e a luta livre surgiram durante a segunda metade do século XIX. Em 1869, a luta greco-romana fez parte dos primeiros Jogos Olímpicos modernos. A luta livre foi introduzida nos Jogos Olímpicos de 1904. A luta livre feminina se tornou um esporte olímpico em 2004.

No Brasil, um estilo de luta livre chamado Telecatch foi popular entre as décadas de 1960 e 1980. O Telecatch era uma luta que misturava combate, encenação teatral e circo. Os competidores não lutavam de verdade. Seus movimentos e golpes — geralmente exagerados, beirando o engraçado — eram coreografados e ensaiados. O Telecatch era transmitido pela TV e atraía grandes audiências.

Translate this page

Choose a language from the menu above to view a computer-translated version of this page. Please note: Text within images is not translated, some features may not work properly after translation, and the translation may not accurately convey the intended meaning. Britannica does not review the converted text.

After translating an article, all tools except font up/font down will be disabled. To re-enable the tools or to convert back to English, click "view original" on the Google Translate toolbar.